Chile


269001_243694948976039_6970103_n

Cercado pela Cordilheira dos Andes, a capital chilena é uma das cidades mais modernas da América do Sul. Entre seus atrativos estão inúmeros parques, museus, igrejas e uma intensa vida noturna.

O Chile é um país estreito situado na costa do oceano Pacífico fazendo fronteiras com o Peru, Bolívia e Argentina. Sua língua oficial é o espanhol e sua moeda o peso chileno. A população é mestiça de europeus e indígenas cujas tradições são cultivadas em algumas partes do país. Os chilenos são muito agradáveis e hospitaleiros com todos os estrangeiros tornando o passeio pelo país bastante agradável.

Santiago está a 520 metros de altura, próximo à Cordilheira dos Andes sendo a principal cidade do Chile comercialmente e culturalmente. No verão, quando a temperatura média é de 22ºC, a cidade torna-se mais tranqüila – os moradores aproveitam para visitar as praias banhadas pelo oceano Pacífico, principalmente os balneários de Viña del Mar e Valparaíso.

No inverno, a temperatura fica poucos graus acima de zero, o que dá a cidade novo atrativo, tornando-a ponto de partida para as estações de esqui.

Na segunda metade de novembro realiza-se a Feira Internacional do Vinho do Hemisfério Sul. É a maior festa de Santiago e dela participam produtores de todo mundo. O vinho chileno é considerado pelos especialistas um dos melhores do mundo, graças ao clima ideal para o plantio da uva. Na periferia de Santiago há vinícolas que mantêm programas de visitas com direito a degustação e acompanhamento de guias especializados.

O Mercado Central é uma boa opção para conhecer restaurantes especializados em peixes e frutos do mar, pela qualidade e variedade de ofertas, garantidas pela proximidade do mar e pela corrente de água gelada que banha o litoral chileno.

Santiago foi fundada em 1541 pelo conquistador espanhol Pedro Valdívia e chegou a sua independência em 1818 se tornando capital da nação.Santiago possui muitas atrações como o Museu de História Natural com coleções pré-colombianas, o Museu de Arte Contemporânea e o Museu de Solidariedade de Salvador Allende com criações contemporâneas de diversos artistas do mundo. Mas seu maior tesouro está nos parques e suas paisagens maravilhosas próximo à Cordilheira dos Andes.

Um dos lugares próximos a Santiago é O Monumento Natural de El Morado.Apenas a uma hora de distância de Santiago, este parque possui uma beleza ímpar. No caminho você encontra uma pequena cidade conhecida como a Vila de Banhos Morales, com águas termais que levam o mesmo nome. A entrada da reserva se encontra cruzando o Rio Morales e possui um Centro de Informações ao Turista. Devido às condições climáticas, o parque fica fechado de Maio à Setembro onde alcança baixíssimas temperaturas e grande quantidade de neve, porém nos outros meses do ano (de dezembro a março) possui condições bastante agradáveis para acampar e passear pelo parque.

Quando visitar os Parques não esqueça:

  • Não corte as flores nem as plantas que são parte essencial do ecossistema.
  • Não perturbe a fauna local.
  • Caminhe pelas trilhas, para não maltratar a vegetação.
  • Leve protetor solar, creme hidratante e caixa de primeiros socorros.
  • Não esqueça de roupa especial para neve se estiver no inverno.

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

FUSO HORÁRIO: (-) 1 hora (Horário de Brasília) No Verão, (-) 2 horas.

DOCUMENTAÇÃO: Passaporte na validade ou Carteira de Identidade expedida pelo Detran (original) com no máximo 10 anos da data de emissão. Não serão aceitas Carteiras emitidas por Ministérios Militares, Conselho de Ordem, Planos de Saúde ou Carteira de Habilitação. Crianças: é obrigatória a apresentação do Passaporte ou da Carteira de Identidade original. Não serão aceitas as Carteiras de Plano de Saúde ou de Vacinação.

BAGAGEM: Trechos aéreos: 1 volume com até 32 kg. por passageiro + bagagem de mão: 5 kg. Sempre que estiver na recepção de um Hotel ou restaurante, tenha o cuidado de não deixar sua bagagem de mão desacompanhada.

MOEDA: Peso Chileno (R$ 1.00 – CH$ 196 pesos)

TRAVELLER’S CHECKS: Grandes lojas de departamentos e alguns restaurantes aceitam Traveller’s Checks em dólares americanos, sempre cobrando taxa. Podem ser trocados em hotéis ou lojas. Os Bancos e Casas de Câmbio oferecem a melhor taxa.

BANCOS: Horário de funcionamento: 9h às 14h. Horário Comercial: de 2ª a sábado, das 9 às 20 horas. Shopping Centers fecham às 22 horas.

CARTÕES DE CRÉDITO: Aceitos na maioria dos hotéis, lojas e restaurantes. Não esqueça de desbloquear antes da viagem.

Principais cidades:

SANTIAGO

Onde é melhor para passear:

  • Palácio de La Moneda: Fica na av. Libertador Bernardo O`Higgins. Agende uma visita guiada gratuita ou apenas passeie pelos pátios internos.
  • Museu Colonial de San Francisco: rua Londres, 4, de 1575, é o conjunto arquitetônico mais antigo da cidade. Tem obras do período colonial.
  • Museu de Arte Pré- Colombiana: Localizado na rua Bandera, 361. Tem 3110 peças que contam 10 mil anos de história. Grátis para crianças e estudantes.
  • Museu de Belas Artes: Localizado dentro do Parque Florestal e num belíssimo prédio artnoveau, tem mais de cinco mil obras, grande parte de artistas chilenos.
  • Igreja de San Francisco: Localização: Entre a Calle San Francisco e a Calle Londres. Estação de Metrô: UNIVERSIDAD DE CHILE ou SANTA LUCIA. A mais antiga igreja de Santiago, abriga a imagem da Virgem Maria, trazida do Perú para o Chile no início do século XVI pelo explorador Pedro de Valdivia, integrante da primeira expedição espanhola à região.
  • Planetarium: Av. O’Higgins, 3349 . Estação de Metrô: LOS HERÓES. O local apresenta ótimas palestras e filmes sobre astronomia, sendo indicado para crianças.
  • Cathedral: Em frente a Plaza de Armas . Estação de Metrô: UNIVERSIDAD DE CHILE. Aberto de 7h às 19h. Suas principais atrações são a estátua de madeira de São Francisco Xavier esculpida no período colonial, e o Museu de Arte Sacra.
  • Mercado Central: Localização: Na esquina das calles 21 de Mayo e San Pablo. Estação de Metrô: CAL y CANTO. Aberto de 7h às 20h. Totalmente reconstruído o local é bastante frequentado por habitantes locais, para quem quer entrar na rotina desta cidade é perfeito

270361_243695705642630_342969_n

Parques e praças:

  • Cerro Santa Lucia: Horário: Diariamente de 8h às 21h. Estação de Metro: UNIVERSIDAD CATÓLICA. O parque é famoso pela gigantesca formação rochosa que se eleva a 70m de altura, de onde se tem, uma bela vista de toda a capital chilena. Várias estátuas que homenageiam personagens históricos foram colocadas no local.
  • Parque O’Higgins: Horário: Diariamente de 8h às 19h. Estação de Metro: PARQUE O’HIGGINS. Uma diversificada área de lazer, localizada a cerca de dez quarteirões ao sul da Alameda. O lugar dispõe de um pequeno lago, playground, quadras de tennis, piscinas, palco para espetáculos de música e dança, pista de patinação no gelo (somente no inverno), clube hípico, restaurantes e lojas, além de uma aquário com diversas espécies de peixes e outros animais marinhos e um museu de insetos e conchas.
  • Parque Balmaceda: Localização: A leste da Plaza Baquedano, ao longo do Rio Mapocho. Estação de Metrô: BAQUEDANO. Provavelmente, a mais bela praça de toda a capital chilena. Este parque é ótimo para caminhadas e passeios tranquilos.

263446_243696058975928_5020344_n

Para comer:

Existem excelentes opções para comer mariscos:

  • No Mercado Central fica o Donde Augusto.
  • O Aqui está Coco, rua La Concepción, 236, é um dos mais conhecidos de Santiago.
  • O Azul Profundo, rua Constitución, 111. Tipo um barco e a comida é boa e barata, fica na zona mais boêmia da cidade, o bairro de Bellavista, Próximo a casa da amante de Pablo Neruda ( Vale a pena o passeio).
  • Um chileno tradicional é o Ligúria, av. Pedro de Valdivia, 47, que ainda guarda o estilo das picadas, antigos restaurantes populares.

Para comprar:

  • Há uma pedra que só existe no Chile e no Afeganistão: o lápis-lazúli. Uma jóia dela é ótimo suvenir. Compre no Mall Alto Lãs Condes, av. Pres. Kennedy, 90001. Lá também fica a El Mundo Del Vino, boa opção para comprar brancos e tintos chilenos.
  • Uma feira legal de antiguidades no fim da semana ocorre na rua Pio Nono, em Belllavista. Jóias, roupas, discos antigos, etc.
  • Uma loja boa para comprar roupas, acessórios e maquiagem é a Falabella. Tem bastante variedade e preço bom.
  •  Comprar peças de inverno, o Chile vende couros e roupas de inverno com preço muito bom. Aproveite!

VALPARAISO

Cidade de magia e poesia, localiza-se a 120km. da capital chilena. É uma cidade portuária de inusitada arquitetura. Teve o primeiro porto comercial do Chile e uma janela aberta para o Oceano Pacífico.

Com quase 300.000 habitantes, é sede do poder legislativo do país e capital da V Região. Valparaíso nunca foi fundada, nasceu espontaneamente em 1536, logo ao ser descoberta pelo espanhol Juan de Saavedra.

Suas colinas escarpas e abruptas fizeram com que na cidade houvesse vários elevadores, um dos meios de locomoção incorporados na paisagem urbana. Em 22 de setembro de 1998, 14 elevadores foram declarados Monumentos Históricos. O elevador Polanco é desde 1976.

Valparaíso se mostra ao visitante como uma cidade única e atualmente postula perante a UNESCO para converter-se em patrimônio da Humanidade. Suas 4 universidades tradicionais são o suporte cultural de uma gama de atividades artísticas.

270380_243709352307932_7700285_n

VIÑA DEL MAR

Uma cidade balneário, localiza-se a 120 quilômetros de Santiago, também conhecida como “Cidade Jardim”, por estar rodeada de áreas verdes, amplas alamedas de pedestres, charmosas praças e jardins floridos. A atividade da cidade é intensa, sobretudo na rua Valparaíso, centro comercial e ponto de encontro em seus cafés ao ar livre e suas docerias. Há uma praia chamada Reñaca.

263860_243710652307802_5260715_n

VALLE NEVADO

O Valle Nevado Ski Resort está localizado muito perto da capital chilena, Santiago, a cerca de 40km apenas. Na região do Valle Nevado estão também outros ski resorts muito frequentados por locais que sobem a Cordilheira no final de semana para curtir a neve nas suas casas da montanha, são eles: El Colorado, Farellones e La Parva.

O acesso à essa região dos ski resorts se dá através de uma sinuosa estrada que apesar de ter apenas 40km, leva mais do que o imaginado para se chegar no destino final. Na cidade de Santiago do Chile, basta rumar para o bairro de Las Condes para encontrar placas que sinalizam a estrada que o levará para a estação de ski. Para completar esse trajeto ainda é necessário levar-se em consideração as condições climáticas do dia e os horários nos quais é permitido subir ou descer essa mesma estrada.  São muitas curvas, porém a recompensa faz valer a pena!

Quanto aos horários de subida e descida nessa estrada, durante o inverno os períodos de movimento são controlados: das 08h às 14h o trânsito só é permitido para subir e das 14h às 20h somente para descer. Para quem vai alugar um carro é bom saber que é obrigatório o uso de correntes de neve nos pneus para subir essa estrada. Se ao alugar um carro não lhe for dada a opção de correntes de neve, ou se você as esquecer, são grandes as chances de algum policial parar seu carro e exigir que você alugue as correntes que eles disponibilizam. O preço pode ser meio injusto, então é sempre bom se prevenir antes de pegar a estrada.

265056_243722145639986_3310788_n

Uma das últimas novidades do Valle Nevado, foi a inauguração em 2013 da primeira gôndola de estações de ski do país, ou também chamado de teleférico de montanha. A “La Gondola” do Valle Nevado percorre um trajeto de 980 metros, conta com 70 cabines que comportam 6 pessoas cada. O objetivo da gôndola é transportar tanto os esquiadores e snowboarders que ali circulam, como também turistas que querem apenas passar o dia na montanha para conhecer e/ou desfrutar da gastronomia. O trajeto da gondola vai da Curva 17 (área de serviços do Valle) até o restaurante Bajo Zero, localizado a 3.200m de altitude, em meio a uma paisagem andina, rodeado de neve, montanhas e pistas.

A estação de ski é do tipo Alta Montanha – não existe uma cidadezinha, é apenas as pistas, hotéis, alguns restaurantes e era isso. Excelente pedida pra turma que quer curtir uma skiweek pra valer. A estação de ski é bem eclética e democrática, existem pistas para todos os gostos e níveis (uma das grandes qualidades do Valle) e também hotéis para todos os bolsos. As pistas podem ser acessadas por lifts (o mais rápido da América do Sul inclusive, o Andes Express), pomas/T-bars e por uma gôndola que é novidade recente e um dos últimos acréscimos do Valle.

TERMAS DE CHILLÁN

Chillán é uma das cidades mais antigas do Chile e também uma das mais belas. Em uma região vulcânica, a paisagem não é o único atrativo, há também as estações de águas termais e as 29 pistas de esquis que fazem da cidade um dos roteiros preferidos para esportistas e turistas. Mesclando a vontade de esquiar, relaxar na hidroterapia e aproveitar as belas paisagens promovidas pelos vulcões e pela neve, a região atrai cada vez mais visitantes, e torna-se conhecida no mundo inteiro. No Centro de Esqui e Termas, a 80 Km da cidade, são oferecidos restaurantes, pubs, discotecas, piscinas térmicas, spas, lojas, lanchonetes, café, pronto-socorro, centro de compras, além de instrutores e aluguel de equipamentos.

O Mercado de Chillán é um dos principais atrativos para turistas. Lá, são oferecidas obras em cerâmica, tecidos em lã, trabalhos em madeira, além de rendas, mantas, ponchos ou palas, e outras peças de vestuário típico dos Andes. O edifício foi reformado em 1991, quando modificaram as instalações interiores e remodelaram os espaços reservados para o comércio. As piscinas costumam ser mais badaladas no fim do dia, quando os esquiadores resolvem descansar nas águas sulfurosas e minerais, ou nas espreguiçadeiras espalhadas em volta das piscinas. A região tem completa infra-estrutura para os visitantes e oferece excursões e passeios durante todas as épocas do ano. A estrada que leva às termas atravessa o bosque nativo e sobe por curvas que margeiam a bela vegetação natural.

A 1600 metros de altitude encontra-se a pista de esqui mais extensa da América do Sul. Ao todo são 29 pistas distribuídas em uma área de dez mil hectares. Todas elas estão localizadas junto ao Vulcão Chillán, cujo topo é coberto de neve nas quatro estações do ano. As pistas, por serem extensas e apresentarem boa infra-estrutura, atraem esportistas de todo o mundo, mas grande parte dos visitantes é de pessoas que nunca colocaram um esqui nos pés. Passam o dia brincando e tentando se equilibrar enquanto descem pela neve. Há pistas para todos os gostos e níveis, difíceis, médias e trechos complicados, que exigem perícia dos esquiadores, mas também há locais agradáveis e ideais para os novatos. Além do esqui, Chillán oferece passeios de trenós puxados por cães da raça husky, snowmobiles (moto para neve), cross-cuntry e snowpark. Os passeios cruzam os vales e bosques da região. Lá, é possível vislumbrar toda a paisagem do local. As pistas de esqui estão sobretudo localizadas nas encostas do Nevado Chillán, adjacentes ao vulcão Chillán Novo. Utilizando os teleféricos das pistas de esqui, você pode subir até os pontos mais altos do Nevado, e de lá seguir andando mais 2 horas até atingir a cratera do Chillán Novo. Esta subida é aconselhada apenas para pessoas habituadas à trekking e à neve virgem. Nestas encostas, é possível praticar-se a modalidade fora de pista, isto é, os praticantes de snowboard e de esqui descem em terrenos selvagens, não monitorados pela estação de esqui. É possível também uma subida moderada para a visualização do complexo de gêiseres, que se localizam logo no começo das encostas do Nevado Chillán.

No verão, existem outros tipos de atividades e os hotéis estão abertos para os turistas que querem desfrutar de caminhadas, cavalgadas, trekking e banhos em piscinas. Todo o Chile foi construído ao redor de atividades vulcânicas. Suas cidades, estradas, montanhas e territórios são formados e cercados de vulcões, mas, em Chillán, o vulcão não é apenas parte da cidade, ele é vital a todos. Nele, as pistas de esqui se formaram e, a partir dele, a água termal escorre pelo subsolo e surge nas piscinas aquecidas, além da lama vulcânica terapêutica, muito bem aproveitada pelos turistas.

Verdadeiramente, em Chillan não existe apenas um vulcão, mas um complexo vulcânico formado principalmente por 2 vulcôes que são o Chillán Velho (maior) e o Chillán Novo (menor). Ambos são vistos por todos da cidade e ficam há 3000 metros de altitude. Ainda sai fumaça de seus topos, mas eles já não estão muito nervosos. Calmos, os vulcões não entram em erupção há muito tempo. O maior, desde 1890, e o menor teve uma leve atividade em 1974. Quem vai a Chillán tem o privilégio de concentrar num mesmo dia alguns prazeres raros: paisagens bonitas, esportes agradáveis, terapia em águas termais e matar a curiosidade de ver e tocar nas encostas de um vulcão.

CORDILHEIRA DO SAL

A Cordilheira do Sal foi formada há milhões de anos atrás. Era um antigo lago, cujo fundo foi sendo levantado e verticalizado pelos mesmos movimentos da costa terrestre que originaram a Cordilheira dos Andes. Moldada pelo tempo através da chuva, do vento e do sol do Deserto do Atacama, sua forma final que conhecemos hoje é plena de esculturas naturais, diferentes tipos estratificações e colorações variadas pela diversidade mineral do local. Da Cordilheira do Sal pode ser observado o Deserto do Atacama e o oásis onde fica a cidade de São Pedro do Atacama, bem como a cadeia de vulcões pertencentes à Cordilheira dos Andes. O nome da Cordilheira do Sal deriva do fato de sua composição mineral possuir uma grande quantidade de gesso, o que lhe confere o aspecto de estar salpicado de sal.

VALE DA LUA

O vento, a desolação, o tempo e a areia do deserto formam continuamente paisagens mutantes, que jamais param de se revolverem em belíssimos formatos. Não há nada por lá, nem uma planta, nem um inseto, a não ser você e diferentes tipos de areia, sal, gesso e terra. Embora o calor, o Vale da Lua é um lugar de paz, calmo e tranquilo.

O Deserto do Atacama, o mais árido do mundo, é localizado no extremo norte do Chile, na fronteira com a Bolívia. É uma região belíssima. Devido a total falta de chuvas, as condições de visibilidade são excepcionais e a região do Atacama é considerada o melhor lugar no planeta para pesquisas astronômicas.

VALE DA MORTE

Batizado de Vale da Morte, diz a lenda que pessoas antigamente morriam ao tentar atravessá-lo. Ossos de animais ou de pessoas eram encontrados, ou confundidos com pedaços naturais de gesso. Conforme determina a secura do Deserto do Atacama, ninguém pode viver no seu Vale da Morte. Mas é possível admirá-lo: o Vale da Morte é um festival de cores, em eterno câmbio de formas. Exuberante e belo, a quantidade de formas e esculturas naturais produzidas neste trecho do Deserto do Atacama é impressionante. O Vale da Morte é um dos locais do Planeta Terra onde ele reservou para produzir sua arte.

SÃO PEDRO DE ATACAMA

Sempre azul. Assim é o céu que cobre todos os dias o pequeno povoado de São Pedro de Atacama, no Chile, situado na região norte daquele país e em uma zona geográfica onde se encontram as maiores montanhas dos Andes. Sua população é muito reduzida, restrita principalmente a comerciantes, pastores e agricultores. São Pedro é a porta de entrada para que turistas conheçam uma das regiões mais inóspitas e surreais do globo terrestre: o Deserto do Atacama. Por depender da atividade turística e ser o ponto de partida de diversas excursões da região, o povoado possui vários serviços aos visitantes. Desde alojamentos a restaurantes, de internet a agência de turismo…

O povoado se encontra nas Cordilheiras dos Andes e distante a 40 quilômetros do majestoso e mítico vulcão Licancabur, onde eram realizadas cerimônias e depositadas oferendas Incas. Na verdade, dentro de São Pedro não há muito o que se ver ou o que fazer, mas no seu entorno existem várias atrações e paisagens exóticas, raras em qualquer região do mundo. Apenas a 17 quilômetros se encontra o Vale da Lua. A região recebeu este nome justamente pela composição formada por rochas e areias que promovem uma aparência semelhante à superfície lunar. O Vale tem uma grande dimensão, mas de uma duna alta é possível ver boa parte da região.

Próximo de São Pedro também estão as Termas de Puritama. São piscinas naturais de água clara e quente. Mesmo no frio que entra junto com a noite do deserto a água das piscinas fica em torno dos 30º Celsius. Apesar de serem administradas por um hotel chileno, as termas são abertas ao público em geral. Ainda no roteiro dos passeios que podem ser feitos pelos turistas de São Pedro de Atacama está um “passeio” pelo Vale da Morte. Situado a apenas três quilômetros do povoado o vale é muito arenoso e, em seu caminho, se passa pela Cordilheira do Sal onde são encontradas esculturas naturais formadas pela ação vento e do tempo nas dunas e nas rochas. Ali não existe nenhuma vida animal nem vegetal.

PUERTO NATALES

A pequena e pacata cidade de Puerto Natales, no extremo sul do Chile, caiu nas graças dos estrangeiros e vem se transformando no coração do turismo patagônico desse país. Quem algum dia já visitou o Parque Nacional Torres del Paine poderá, fazendo um esforço e mergulhando nas lembranças, trazer à mente imagens dessa cidadezinha.

Recordará, talvez, que parou num posto de gasolina, reabasteceu e continuou a viagem rumo ao parque. Ou, quem sabe, conseguirá lembrar que aproveitou a parada e tomou um chá no fim de tarde, após quase três horas de estrada, vindo da cidade mais austral do Chile, Punta Arenas.E aí morrem as imagens de Puerto Natales. Pois é, aquela sonolenta cidade hoje é o centro distribuidor do turismo patagônico. E nem todos os que passam por ela estão só a caminho do mais belo e conhecido parque nacional chileno. Longe disso.

O entorno de Natales, como agora a chamam os íntimos, oferece muito mais destinos além de Torres del Paine. Há cruzeiros até as geleiras, cavalgadas pelos pampas, visita a fazendas de ovelhas, caminhadas, observação da natureza e dos hábitos dos baqueanos, os gaúchos da região, pesca esportiva, escalada em gelo, enfim, um leque de opções turísticas para todas as idades, contas bancárias e sensibilidades. Até acaba de ser aberto o primeiro cinco-estrelas da cidade. E, o que é mais importante, os visitantes começam a descobrir que a a Patagônia chilena é interessante em todas as estações –cada uma tem sua graça.

LAGOS ANDINOS

A região dos Lagos Andinos guarda algumas das mais belas paisagens da América do Sul. Localizada entre Argentina e Chile, a região dos Lagos Andinos é repleta de lagos de águas cristalinas, emoldurados por montanhas cobertas de neve. A região dos Lagos Andinos é cortada por rios, e também abriga ilhas, canais, estuários e fiordes, além de densos bosques, uma fauna característica e paisagens de tirar o fôlego.

Alguns pontos turísticos na região dos Lagos Andinos: Mercado de Artesanato Mapuche, Museu Regional de La Araucania, Lago Villarica, Vulcão Villarica, Rio Liucura, Termas (Quimey-Co, Huife, Los Pozones), Lago Caburga, Península de Llao-Llao, Parque Nacional Huerquehue, Parque Nacional Villarica, Saltos de Palguin, La China e El Leon, Termas de Palguin, Laguna San Jorge, Vulcão Lanin, Puesco, Lago Tinquilco, Sete Lagos.

No verão, o sol quer aproveitar as férias e fica muito tempo distribuindo sua luz. Sai às 4h30 e cai, sem muita vontade, perto da meia-noite. No outono, os carvalhos oferecem uma bela paisagem avermelhada. No inverno, some aquele vento inclemente –que, às vezes, nos impede de caminhar direito e pode até nos jogar ao chão–, e o sol fica preguiçoso: tempo especial para quem está em lua-de-mel. E, na primavera, fauna e flora se energizam. A Patagônia chilena quebrou a sazonalidade, e as visitas entram e saem durante todo o ano.

Dicas Importantes:

Quem planeja viajar ao sul do Chile, saindo de Santiago, deve ficar atento à forma de cobrança diferente das companhias de ônibus desse país. Os preços variam conforme a procura: uma passagem de ônibus comprada em fins-de-semanas e feriados custa o dobro de passagens em dias úteis.

Outra informação importante: há quatro tipos de assentos em ônibus interurbanos chilenos, cada qual o dobro do outro, em preço: clássico (simples, banco comum, pouco confortável), ejecutivo (semi-leito), cama (leito) e cama luxo. Se você pretende viajar à noite para poupar diárias de hotel, não recomendamos o clássico em longos trajetos. É possível, também, contratar o serviço de refeição durante a viagem, por uma taxa adicional.

Uma dica importante para viajantes a Santiago no período do verão que queiram evitar insolação: a temperatura média na cidade nessa época gira em torno de 32º C, chegando a 36º C (final de dezembro/início de janeiro). As cidades litorâneas (Viña del Mar e Valparaíso) são mais frescas por causa do oceano frio e do vento (Santiago fica em um vale com pouca circulação de ar, que esquenta muito no verão). Outra dica importante: os horários de pico de temperatura são entre 15h e 17h, uma vez que a luz do sol nessa época do ano se estende até às 21 horas ou mais. Isso quer dizer que os passeios que exijam atividades físicas (como subir o Cerro Santa Lucía) devem ser evitados nesse horário. Outra dica importante: o clima é extremamente seco nessa época do ano. É importante beber muita água.

Comidas e bebidas:

Em todas as cidades existem ótimos restaurantes, com grande variedade de pratos da comida chilena e internacional.

Recomendamos provar comida chilena: parrillada (carnes na brasa, à base de carne de vaca, porco e frango), as típicas empanadas (como uma esfiha, massa recheada com carne moída, cebola picada, azeitonas, ovos e passas), cazuela de ave (tipo de sopa, com batatas, abóbora, milho e vagem), pastel de choclo (é uma torta de milho recheada com carne moída, pedacinhos de frango, azeitonas, ovos cozidos), as humitas (como uma pamonha salgada, que se pode comer com salada de tomates e cebola).

Entre os pratos tradicionais chilenos a base de frutos do mar e peixes, nada melhor que um caldillo de congrio (sopa do peixe congrio) ou um chupe de locos (porção de um fruto de mar chamado locos).

Um dos pratos mais típicos da região Sul do país e também muito tradicional, é o curanto, uma mistura de peixes, frutos do mar, batatas, carnes de vaca, porco e frango, que se cozinha dentro de uma panela de barro, ou embaixo da terra em folhas de bananas e pedras, fazendo um buraco dentro da terra . A produção de frutas do Chile, excede a qualquer país tropical. O aperitivo tradicional do Chile é o pisco souer, feito a base de pisco (aguardente da uva), limão, gelo e açúcar. Os vinhos chilenos são mundialmente conhecidos especialmente o Carbenet Sauvignon Blanc e Chardonnay. A gorjeta não está incluída nos restaurantes, geralmente se oferece 10% sobre o valor.

Onde Comer:

Os mariscos e crustáceos do Chile são endêmicos, ou seja, só existem na costa chilena. Eles têm nomes curiosos, como locos e picorocos, e uma aparência estranha. Mas não se deixe intimidar. Experimente. Você com certeza vai adorar.

Os bairros Bellavista, Providencia e Centro formam a melhor região gastronômica da capital. Para comer bem, você pode escolher entre peixes, frutos do mar, carnes, cozinha italiana, francesa ou espanhola. Santiago está muito bem servida de restaurantes. Um ótimo lugar para saborear frutos do mar bem fresquinhos é o Mercado Central. O prédio, construído em estrutura metálica em 1868, tem dezenas de restaurantes espalhados em seus “pasillos”, aliás, corredores. O melhor de todos também é o maior: o Donde Augusto, especializado em peixes e frutos do mar. Experimente o marisco “loco” e o crustáceo “picoroco” (cerca de US$ 10 o prato). Se você tem receio, peça um prato tradicional. Uma paella sai por US$ 18 e dá para duas pessoas. Também no centro fica o requintado Aqui está Coco, tem a fama de ser o melhor restaurante de Santiago.

A rua Orrego Luco, na Providencia, tem muitos cafés-restaurantes com mesinhas na calçada. O ambiente do Le Flaubert, pode ser comparado ao de um bistrô parisiense. E o tempero das receitas é refinado. Prove o salmão com ervas finas).

Os frutos do mar são o forte da culinária chilena. Mas também há bons endereços de cozinha internacional.

Dois restaurantes que indico para fazer refeições são o Giratório e o Niu Sushi na Providência.

Vinhos:

Os vinhos chilenos estão entre os melhores do mundo. Ao redor da capital, há oito vinícolas de portas abertas para os turistas, embora algumas cobrem ingressos. Marque a visita com antecedência pelo telefone. Depois do tour você pode degustar vinhos e comprá-los por preço mais baixo do que nas lojas. As mais visitadas são a Concha Y Toro e Undurraga. Na estrada para Viña del Mar, no Vale Casablanca, também há vinhedos que podem ser visitados.

270556_243703468975187_3673067_n

Quando ir:

  • Deserto, Ilha de Páscoa: o ano todo;
  • Zona central: de outubro a abril;
  • Estações de esqui: junho a setembro;
  • Região dos lagos: novembro a março;
  • Patagônia: dezembro a fevereiro.

O que visitar:

  • A Região dos Lagos
  • Vinã del Mar
  • Plaza de Armas
  • Cerro San Cristobal (a melhor vista de Santiago)
  • Isla Negra (refúgio favorito de Pablo Neruda)
  • ermas de Chillán
  • Punta Arenas
  • Puerto Montt
  • Puerto Varas
  • Parques Nacionais da Patagônia
  • Laguna San Rafael
  • Parque Nacional Torres del Paine.

Vida noturna:

Santiago é bem agitada a noite… tem baladas para todos os gostos. O point favorito dos turistas é a avenida Suécia, na região do bairro Providência, shows com músicas típicas e muito reggaeton.

O Vitacura é um bairro chique e elegante, bem conhecido por causa da Avenida Alonso de Córdoba, que é a Oscar Freire de Santiago (em proporções menores). Possui muitos restaurantes, com comida de todos os tipos, além de bares muito conhecidos como o Las Urracas, para quem quer dançar, é o lugar certo. Para quem gosta de terminar a noite num bar pode conhecer uma das filiais do Liguria. E tem o Pubcrawl que é bem badalado.

O bairro Bellavista é conhecida pelo seu famoso Pátio que tem além de ótimos restaurantes e lojinhas, muitos bares e pubs. A Rua Pio Nono é uma das mais frequentadas durante a semana. No mesmo bairro você vai encontrar muitas opções. Os bares mais frequentados dessa região são o Dublin e Constitución.

O que levar:

Mesmo no verão, alguns agasalhos não farão falta, principalmente à noite.

No inverno, casacos pesados, botas, luvas, cachecol são indispensáveis. Não esqueça do hidratante, protetor solar e um bom protetor labial.

Gastronomia:

A cozinha chilena utiliza carne de vaca, frango, peixe e frutos do mar. A Parrillada (espécie de churrasco), as Empanadas (pastel de forno recheado), as Lumitas (que lembram as pamonhas brasileiras) e o Caldillo de congrio (sopa feita com enguias) são pratos típicos muito apreciados pelos turistas. O aperitiso mais consumido por aqui é o pisco sour e durante as refeições nada melhor que experimentar os excelentes vinhos chilenos.

Compras:

Vale a pena visitar o Shopping Parque Arauco, considerado o mais moderno da América do Sul. O Mercado Central de Santiago é uma ótima opção para compras bem como as feiras de artesanato com artigos de madeira, lã, cerâmica, vime, prata, peças decorativas e jóias trabalhadas com lápis lazúli (pedra preciosa encontrada somente no Chile e no Afeganistão.)

Curiosidades:

Isla Negra não é uma ilha e sim uma aldeia tranquila e isolada, onde o maior literata do Chile, Pablo Neruda, escreveu alguns dos seus mais importantes livros como o “Canto General” que o líder guerrilheiro Che Guevara revelou ser seu “livro de cabeceira”. A casa onde morou transformou-se num museu e seu túmulo encontra-se nos jardins da residência. Isla Negra também inspirou o filme “O Carteiro e o Poeta”.

Share This
Fale com a Laki!