San Andres


20141111160351391600_shutterstock_125122250_palm trees in San Andres, Colombia

San Andrés é uma autêntica ilha caribenha. O local, que é sede do arquipélago de San Andrés, Providência Santa Catalina, foi a base militar de um notável personagem conhecido como Pirata Morgan e hoje é um dos destinos do Caribe mais acessíveis para se visitar. Os valores justos, os ritmos animados e o mar estonteante são suficientes para conquistar desde a categoria mirim até a sênior. San Andrés é famosa pelo seu mar de sete cores e, apesar de parecer apenas uma frase de efeito, é mesmo um lugar com diversos tons no mar. Variações de verde e azul brindam os visitantes antes mesmo de chegarem em terra firme. O mergulho no mar, irresistível, é excelente para fugir do calor dos trópicos ou observar peixes de variadas espécies devido às águas cristalinas e com boa visibilidade.

Na ilha não faltam praias para nadar e passeios para fazer. A praia mais popular é a Peatonal, que fica no centro e tem poucas ondas. Alugar um carrinho de golfe é a melhor maneira para circular e aproveitar para conhecer devagar os lindos locais, como West View e San Luis (um bairro residencial onde falam alto o sossego e o clima de um lugar que foge da modernização de uma grande capital). Não deixe de visitar, também, o Olho Soprador, um buraco na pedra que solta vento devido à força das ondas, e fazer um passeio por Aquário e Johnny Cay, são ilhas vizinhas de tamanha beleza. Comer bem e visitar algumas lojas são atividades constantes nos roteiros dos viajantes. Os preços convidativos permitem que refeições em bons restaurantes ou produtos nas lojas tenham um excelente custo-benefício. Aproveite para comer camarões e lagostas sem ficar com peso na consciência (e no bolso)!

San Andrés é uma ilha pobre, que carece de cuidado, mas tem um mar incrível e passeios supreendentes. Um destino para aproveitar pequenos prazeres, descansar, pegar um bronzeado, fazer compras e curtir paisagens de tirar o fôlego.



INFORMAÇÕES ÚTEIS:

FUSO HORÁRIO: (-) 2 hora (Horário de Brasília) No Verão, (-) 3 horas.

DOCUMENTAÇÃO: Passaporte na validade ou RG. Não serão aceitas Carteiras emitidas por Ministérios Militares, Conselho de Ordem, Planos de Saúde ou Carteira de Habilitação. Crianças: é obrigatória a apresentação do Passaporte ou da Carteira de Identidade original.

BAGAGEM: Trechos aéreos: 2 volumes com até 32 kg. por passageiro + bagagem de mão: 5 kg. Sempre que estiver na recepção de um Hotel ou restaurante, tenha o cuidado de não deixar sua bagagem de mão desacompanhada.

MOEDA: Peso Colombiano.

CARTÕES DE CRÉDITO: Aceitos na maioria dos hotéis, lojas e restaurantes. Não esqueça de desbloquear antes da viagem.



QUANDO IR:

San Andrés apresenta altas temperaturas durante o ano todo. Seja no inverno ou no verão, prepare-se para sentir um calor de pelo menos 27ºC, que é a média de temperatura anual do local. O que se sabe é que as chuvas são mais frequentes de maio a dezembro, porém viajar nesse período não significa ficar embaixo da água o tempo todo. O tempo muda constantemente na ilha, e é comum o dia amanhecer nublado e depois ficar ensolarado – também é comum a ocorrência de chuva através de nuvens passageiras. Viajando nos meses com mais chuva, tente esticar um pouco a viagem e ficar mais dias do que o previsto, para ter mais chances de pegar belos dias de sol.

Os períodos de alta temporada – consequentemente, de preços mais altos – vão do final de dezembro ao final de janeiro, de meados de julho a meados de agosto, além da Semana Santa. Meses em que não ocorrem férias, como maio, junho, setembro e outubro, são bons para encontrar oferta de hotéis e negociar valores de passeios.

johnnycay36


O QUE FAZER:

San Andrés é um destino de praia; por isso, nada melhor do que aproveitar o dia curtindo o que o lugar tem de melhor: o mar. A programação dos turistas é focada em passeios, mergulhos e, claro, momentos na areia para curtir o marzão caribenho. Se for do seu agrado, use o tempo livre para fazer umas comprinhas e garantir produtos com bom preço. A principal praia da ilha e “pau pra toda obra” é a Peatonal, que fica no centro, oferece a melhor estrutura para os turistas e, de quebra, tem lojinhas e um calçadão bom para caminhar – seja dia ou noite, um passeio por ali é sempre agradável. Se a ideia é ficar numa praia mais deserta, não deixe de ir a San Luis, que não tem tanta estrutura, mas é ideal para descansar. Recomendamos alugar um carrinho de golfe ao menos durante um dia para fazer uma volta pela ilha e conhecer suas paisagens, além dos pontos de interesse principais, como: West View, ótimo local para snorkel; Hoyo Soplador, uma fenda no meio das pedras que solta vento devido ao balanço das ondas no mar; e Cocoplum, uma praia quase sem ondas por onde se vai caminhando até Rocky Cay, outro ponto de snorkeling. Imperdível e obrigatório é fazer os passeios de barco que levam às ilhas da redondeza. Enquanto o Aquário, uma ilhota cheia de peixes, é indicado para snorkeling e Haynes Cay é boa para curtir a paisagem e descansar, Johnny Cay (uma das ilhas mais famosas de San Andrés) é a responsável pelas fotos inebriantes e pelos suspiros dos visitantes.

À noite aproveite para jantar num bom restaurante ou, se preferir algo mais animado, aposte no Coco Loco, a discoteca mais famosa de San Andrés, onde a salsa e o reggaeton dão o tom.



DICAS:
  • Não é obrigatório passaporte nem visto para viajar a San Andrés. Por pertencer à Colômbia, brasileiros que viajam a turismo poderão entrar no país apenas portando um RG com foto identificável. Caso faça conexão no Panamá, consulte sua companhia aérea sobre a necessidade de ter um passaporte.
  • Nenhuma vacina é exigida para visitar San Andrés.
  • Um cartão de turismo, no valor de 48.000 COP, é exigido para conhecer as ilhas de San Andrés, Providência e Santa Catalina. O cartão é vendido nas próprias companhias aéreas antes da chegada à ilha, sendo exigido tanto na entrada como na saída, por isso não o perca. Outra dica importante é observar junto à companhia aérea que fará sua viagem, qual é a moeda aceita para o pagamento desse cartão. Em Bogotá, por exemplo, a Copa só aceita o pagamento em pesos colombianos, no Panamá são aceitos dólares.
  • A moeda oficial da ilha é o peso colombiano, porém o dólar é aceito em praticamente todos os lugares. É preciso ficar atento apenas às conversões utilizadas pelos estabelecimentos, que podem não ser tão interessantes e compensatórias se forem pagas em peso. Os cartões de crédito são amplamente aceitos, mas lembramos que comprando no crédito há cobrança de IOF (6,38%). Há diversos bancos e caixas eletrônicos para fazer saques na cidade.
  • Os vários zeros do peso colombiano podem dificultar a assimilação dos valores, por isso a dica é dividir os valores por mil, porque assim eles se aproximarão do preço em real. Não tem mistério: corte os zeros e você terá uma aproximação do montante em nossa moeda.
  • San Andrés é uma ilha quente durante todo o ano; não deixe de levar roupas leves, protetor solar e chapéu. É recomendável, também, ter um calçado para mergulho e snorkel, evitando, assim, os gastos com aluguel. O sapato para mergulho, feito em neoprene e borracha, é indicado mesmo para quem não fará mergulhos profundos, pois a região de San Andrés tem muitas pedras e areia com pedrinhas, que podem incomodar caso você esteja descalço. O calçado, assim como a máscara e o protetor solar, são encontrados por bons preços nas lojas de San Andrés.
  • É importante lembrar que grande parte dos estabelecimentos comerciais funciona em um horário diferente do Brasil. As lojas abrem em torno das 9h, fecham às 12h30 e reabrem às 15h, funcionando até as 20h/20h30.
  • Muitas tomadas na região possuem dois pinos chatos e um pino redondo; para evitar problemas para recarregar seus equipamentos eletrônicos viaje preparado com um adaptador.
  • Fique ligado com o assédio dos ilhéus. Em alguns pontos turísticos eles tentarão convencê-lo a utilizar seus serviços em troca de valores exorbitantes. Esteja ciente dos preços cobrados na ilha para não ser passado para trás; muita gente desprevinida acaba sendo explorada. Achou caro? Negocie!
  • O mar de San Andrés é espetacular, porém o cuidado com a ilha é precário. Há uma quantidade enorme de lixo espalhado pelas ruas e pelas estradas. Uma pena.
  • San Andrés não tem fonte de água doce e toda a água local é dessalinizada. Ajude, evitando o desperdício.

DSC02876-800x255




PRAIAS

Falar das praias é mencionar o motivo principal do sucesso de San Andrés. A ilha é conhecida pelo seu mar de sete cores – que realmente tem diversos tons diferentes -, que brincam entre o verde-claro e o azul-escuro, cristalinas e estonteantes; fica difícil resistir a um mergulho no mar. As médias de temperatura altas de San Andrés permitem que a água não seja fria e não provoque choque térmico ao entrar no mar – a água é mais quentinha de maio a novembro, entretanto nos outros meses não chega a ser gelada como em destinos com grande latitude.

Peatonal é a praia que mais faz sucesso na ilha e a que tem melhor estrutura. Ela fica no centro e é uma excelente alternativa para curtir o mar sem percorrer grandes distâncias. Em San Luís, um bairro que margeia a costa leste da ilha, você encontrará as praias mais bonitas de San Andrés e as águas mais clarinhas – uma delícia!

Não dá para perder um mergulho na sensacional West View, que não é exatamente uma praia por não possuir areia, mas tem um mar lindíssimo, com direito a trampolim e peixes coloridos. Outra parada imperdível é Cocoplum, com sua ilhota Rocky Cay, onde se faz snorkel e é possível ir caminhando por dentro do mar. Conhecendo diversas praias você verá que cada uma tem uma coloração diferente. Em vários pontos da costa as pedras têm vez; por isso eles são indicados para observar peixes com snorkel ou fazer mergulho, enquanto os pontos cercados por areia são áreas mais indicadas para o banho. Não é recomendável caminhar pela área rochosa da costa, devido a imperfeições e falhas nas pedras.

Um sapato flexível, feito com neoprene e sola rígida, é bastante utilizado pelos turistas que visitam o local por conta das pedras e das areias grossas encontradas em algumas partes da ilha. Você poderá comprá-lo facilmente no centro de San Andrés ou alugar nas áreas onde se faz snorkeling.

cayo-rockycay




PASSEIOS:

Os passeios são parte importante em uma viagem a San Andrés e sem eles sua programação não estará completa. Há diversos passeios oferecidos na ilha e uma grande vantagem é que eles têm um preço bastante acessível. Eles podem ser comprados a partir dos próprios hotéis, com empresas que os organizam ou com a cooperativa de pescadores – o local ideal para negociar o preço se você tiver um grupo fechado.

Dar a volta na ilha é imprescindível para conhecer San Andrés e esse passeio pode ser feito em chiva (espécie de caminhão com banco para passageiros), carrinho de golfe ou moto. Nossa dica é alugar um carrinho logo no primeiro dia de viagem e, assim, conhecer os limites da ilha, suas paisagens e atrativos – é bem legal.

Imperdível mesmo é o passeio para Johnny Cay (o “Cay” se pronuncia “qui”), uma ilha a 15 minutos de San Andrés com água simplesmente estonteante – prepare a máquina fotográfica. Esse mesmo passeio inclui uma parada no Aquário, onde se pode fazer snorkeling e ver vários tipos de peixes. Também junto ao Aquário é feita a parada do tour Mantas Raias, onde se tira foto com as arraias – nossa recomendação é deixar as Mantas Raias para o final da viagem, porque há uma grande possibilidade de encontrá-las no Aquário, não havendo a necessidade de fazer um passeio exclusivo para vê-las.

Outro passeio muito procurado é o de Cayo Bolívar, onde há ilhotas tranquilas, com águas bem claras. Se a programação estiver folgada, não deixe de visitar Providência e Santa Catalina por alguns dias, que são ilhas que pertencem ao mesmo arquipélago que San Andrés e possuem águas belíssimas. Na falta de tempo, há a possibilidade de fazer um bate-volta e conhecer as ilhas vizinhas por um dia apenas.



ONDE COMER:

San Andrés é um destino onde se pode comer bem e barato. Dos restaurantes mais simples aos mais refinados, espere encontrar preços mais atraentes do que os praticados no Brasil e se dar ao luxo de curtir pequenos prazeres gastronômicos sem se assustar com valores astronômicos ao receber a conta. Lagostas, camarões, langostinos, caracóis e peixes estão entre os pratos que figuram em praticamente todos os cardápios na ilha. Cercada pelo mar, o atrativo principal da culinária de San Andrés não poderia ser outro senão peixes e frutos do mar. O prato típico da região, chamado de rondón, é como uma sopa com peixe ou caracol que leva ainda mandioca, batata e banana. A sopa de caraguejo, o arroz de coco e o patacón, uma espécie de bolinho frito feito com batata ou banana amassada, são figurinhas marcadas no menu.

Na hora de escolher a bebida, haverá muitas opções. As mais pedidas são ococo loco, que leva três bebidas alcoólicas diferentes, ou o coco fresa, que não tem álcool. Se a ideia é tomar algo leve, aposte na limonada de coco ou num refrigerante de maçã, bastante popular na Colômbia.

Não deixe de almoçar no restaurante La Regatta, localizado sobre águas cristalinas de San Andrés e reconhecido como um dos melhores da região – o local faz o tipo refinado mas tem preços justos. Para comer em frente à praia, a dica é o Donde Francesca, com pratos bem servidos; se quiser fugir do óbvio, aposte no Mister Panino ou no Gourmet Shop Asho, com cardápio variadíssimo.




COMPRAS:

Não perde a oportunidade de fazer algumas compras quando viaja? Separe um espaço na mala, porque San Andrés é um ótimo destino para novas aquisições! A ilha está isenta de impostos e tem produtos mais baratos até mesmo do que em free shops, tornando lojinhas de rua um pequeno tesouro para os consumistas.

As lojas de San Andrés concentram-se no centro da ilha e vendem todo tipo de produto: calçados, malas, alimentos, roupas, perfumes, eletrônicos etc. No geral, os preços são um pouco mais baixos do que os valores encontrados no Brasil e os produtos podem ser pagos com cartão de crédito, peso colombiano e dólar. As avenidas Colômbia, Providência, Las Américas e Colón são ideais para comprar, independentemente do produto desejado.

Comece a planejar sua listinha de compras, mas tenha cuidado nas lojas que escolher para comprar, sob o risco de adquirir um produto falsificado. Dê preferência a lojas de marcas próprias ou lojas grandes como La Riviera, La Perfumerie, President e Madeira. Não deixe de perguntar por possíveis descontos, que podem ser conseguidos de acordo com a forma de pagamento ou em uma eventual promoção nas lojas.

É importante lembrar que grande parte dos estabelecimentos comerciais funciona em um horário diferente do Brasil. As lojas abrem em torno das 9h, fecham às 12h30 e reabrem às 15h, funcionando até as 20h/20h30.




PONTOS TURÍSTICOS:

Pontos turísticos e históricos estão longe de ser o foco de uma viagem a San Andrés, que tem um dos mais belos mares do Caribe. A ilha é ideal para nadar, fazer mergulhos e passeios, mas há alguns pequenos pontos turísticos que podem ajudar a incrementar a viagem. Entre os locais que você pode colocar no roteiro, a Caverna de Morgan – ou Cueva de Morgan – é um dos principais. O lugar é como um museu que mostra um pouco da cultura e da história da ilha, além de possuir uma caverna onde dizem que o Pirata Morgan escondeu tesouros.

Em La Loma, um bairro com ótima visão para o mar, você pode fazer um passeio em carrinho de golfe para observar a arquitetura das casas e a Primeira Igreja Batista de San Andrés. Na região também está uma lagoa, com tartarugas e jacarés.




VIDA NOTURNA:

Vida noturna não é exatamente o forte de San Andrés, como em outros destinos caribenhos. A ilha fica mais movimentada entre quinta-feira e sábado, quando boates e restaurantes ficam mais cheios. Há atrações legais na noite, mas não em todos os dias da semana. Como as lojas ficam abertas até 20h/20h30, aproveitar o início da noite para andar pela Peatonal e por ruas adjacentes com lojinhas à cata de novas aquisições pode ser uma boa pedida. Se a ideia é fazer uma refeição legal, não faltam bons restaurantes na cidade. O Gourmet Shop Asho, por exemplo, além do cardápio variado, tem apresentações musicais às quintas e aos sábados.

Curte uma balada? Então não deixe de conhecer o Coco Loco, a boate mais animada da ilha. Ele tem boa estrutura e foge um pouco das casas noturnas que vemos no Brasil: o pessoal vai mesmo para dançar, especialmente salsa e reggaeton. Outra opção de boate que também fica animada durante o final de semana é a Exctasy, no Hotel Sol Caribe. Se quiser uma opção alternativa, aposte num passeio noturno no barco pirata, com música e pessoas caracterizadas.

san-andres4




TRANSPORTE:

San Andrés é uma ilha pequena, com cerca de 13km de norte a sul. O centro, localizado na parte norte da ilha, concentra o comércio e restaurantes, podendo ser conhecido através de caminhadas; para ir aos demais setores recomendamos alugar um carrinho de golfe. Há, ainda outras alternativas para circular como ônibus, táxis e motos, mas essas opções, via de regra, apresentam um custo-benefício inferior ao dos carrinhos de golfe. A verdade é que o trânsito em San Andrés não é tão tranquilo e surpreende pela intensa movimentação de motos.

Caminhando: Para andar pelo centro, uma caminhada certamente é a melhor opção. A pé você terá mais chances de observar as lojinhas e não precisará se preocupar com o trânsito.

Aluguel de veículos: Alugar um veículo é a melhor pedida para circular pela ilha com total autonomia. Grande parte dos turistas opta por alugar carrinhos de golfe, mas há também a opção de alugar motos ou até bicicletas. Recomendamos o carrinho, que protege do sol e ao mesmo tempo é um veículo mais seguro para quem nunca guiou uma moto. Os carros podem ser alugados por hora, porém o custo-benefício será melhor se o aluguel for para o dia inteiro (das 9h até o início da noite – o tempo pode ser negociado). É possível encontrar carrinhos tradicionais e mais lentos (com espaço para 2, 4 e 6 pessoas) ou um carro mais potente e mais rápido, também chamado de mula (com espaço para 2 ou 4 pessoas). Não se esqueça de procurar diferentes estabelecimentos para aluguel e de negociar o preço. Os carrinhos oferecem um passeio muito legal e o custo é excelente se você viajar em um pequeno grupo. Outro ponto importante a respeito do aluguel é que os carros costumam ser automáticos e exigem alguma noção de direção. Lembramos sobre a necessidade de dirigir portando uma carteira de motorista, uma vez que há policiais na ilha que podem exigi-la.

Táxi: Boa parte dos táxis em San Andrés são velhos e utilizados apenas para aqueles momentos inevitáveis, como o transporte entre o hotel e o aeroporto, por exemplo. Os veículos não têm taxímetro, por isso fique atento ao valor informado pelo taxista ao final da corrida. Entre o aeroporto e o centro, espere pagar 11.000 COP no horário normal e 17.000COP entre 24h e 6h.

Ônibus: Os ônibus podem até ser uma boa alternativa para quem deseja economizar, porém leve em consideração que não há tantos veículos circulando pela ilha, o que significa encontrá-los cheios constantemente.

Share This
Fale com a Laki!